Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amar Portugal

Porque amo este país que não me viu nascer e me senti inspirada pelas "Paisagens de Portugal" do Sapo Blogs.

Amar Portugal

Porque amo este país que não me viu nascer e me senti inspirada pelas "Paisagens de Portugal" do Sapo Blogs.

Direitos de autor

Todas as imagens deste blogue são da autoria de Isa Nascimento, estando protegidas por Direitos de Autor. Se as partilhar, deverá identificar a sua origem.

Aveiro | Passadiços de Aveiro

06
Out23

Tenho pessoas que estimo profundamente em Aveiro. Talvez por isso goste particularmente deste concelho tão marcado pelo Oceano e pela Ria.

Na última visita que fiz à cidade, tive a oportunidade de conhecer os passadiços de Aveiro (que o meus amigos chamam de "passadiços da Esgueira") inaugurados a 1 de julho de 2018, que convidam ao exercício físico e à observação da fauna e da flora da Ria de Aveiro.20230430_112609

Fazendo parte de um projeto mais vasto, a Via Ecológica Ciclável, o troço de Aveiro inicia-se no final do Canal de S. Roque (sob a ponte da A25), passa pelo Cais da Ribeira de Esgueira e termina em Vilarinho, junto ao Rio Novo do Príncipe, estendendo-se através de uma paisagem lagunar ao longo de um percurso com uma extensão de 7,25 km (dos quais 2,8 km em passadiços).

Este projeto permitiu um contacto muito próximo com esta zona da Ria, anteriormente inacessível à população, e proporciona um magnífico encontro com a natureza.

20230430_105819

20230430_113058

20230430_113926

20230430_130311

20230430_131903

Murtosa | Cais do Bico

31
Mai23

Situado na Murtosa, uma vila portuguesa do distrito de Aveiro e sede do Município, o Cais do Bico foi uma excelente surpresa entre os vários pontos de interesse que as margens da Ria de Aveiro oferecem.

20230501_104712

No site da Câmara Municipal da Murtosa pode ler-se que "o Bico apresenta o maior complexo de cais do Concelho da Murtosa" e que foi "outrora um dos mais importantes locais de descarga de moliço, de sal e de materiais de construção". Em meados do século XX albergaria mais de 250 barcos moliceiros e chegou a ter um estaleiro naval. 

Continua a ser a base de trabalho para muitos pescadores murtoseiros e no seu porto de abrigo pode ainda encontrar-se um grande número de barcos, entre eles os tradicionais moliceiros da Ria de Aveiro.

A infraestrutura atual foi inaugurada em maio de 2008 e requalificada em 2012. Disponibiliza parques de merendas, área de serviço para autocaravanas, balneários e circuitos desportivos.

No "bico" encontra-se o Monumento ao Barco Moliceiro, que nos oferece uma magnífica vista da Ria de Aveiro e da praia do Bico, o areal a poente designado área balnear desde 2016 e onde tive a oportunidade de observar uma colónia de flamingos.

 20230501_110255

20230501_111116

Lixo, falta de manutenção e chuva forte

13
Dez22

Mais uma manhã de caos em Lisboa e prevê-se que não seja a última.

O mau tempo ainda nos acompanhará mais alguns dias. 

Bem sei que é difícil gerir estas fases.

Em todos os países ditos "desenvolvidos" acontecem situações destas, em que os fenómenos da natureza são muito mais fortes do que as estruturas construídas pela humanidade, mas nunca aprendemos.

Nunca antecipamos.

Nunca jogamos pelo seguro. 

Segundo dizem os cientistas, os "desastres naturais" serão cada vez mais fortes e frequentes, levando-nos a períodos de seca extrema, cheias torrenciais, incêndios, tempestades...

Questiono-me sobre o que vamos fazer sobre isso.

Sinto-me frustrada... em Lisboa parece que está a ser construída uma megaestrutura para recolha e retenção destas águas. Mas ainda demorará a concluir.

E até lá?

E nas restantes regiões vulneráveis do pais, o que se está a fazer?

Não sei.  Pode ser responsabilidade minha por não procurar essa informação, mas não sei o que é que as organizações públicas e privadas estão a fazer sobre isso. E isso deixa-me angustiada e preocupada.

Acima de tudo porque a responsabilidade não é só dos que "mandam" e governam. 

20221213_084657

Calçada da Palma de Baixo
Lisboa
13/12/2022

 

 

Ericeira | Capela de São Sebastião

30
Ago22

No site do município de Mafra, refere-se que a Capela de São Sebastião remonta aos séculos XV/XVI.

Este monumento, declarado de interesse público em 2018encontra-se na zona norte da vila da Ericeira, junto às praias do Algodio e São Sebastião, e apresenta elementos provenientes de épocas distintas. 

20210905_121819

O altar terá sido colocado em 1567, a pedido de um grupo de moradores da Ericeira, sendo do século XVII os azulejos que forram o interior da ermida.

O espaço sofreu obras de ampliação em 1678.


20210905_121903

 

 

 

 

 

 

       20210905_121920

As Festas em Honra de S. Sebastião e S. Vicente realizam-se no final de janeiro, decorrendo há vários anos  junto a esta capela.

Depois da celebração da missa, as gentes da Ericeira e aquelas que por lá passam para apreciar essas festas, juntam-se no largo da Capela de São Sebastião para dançar ao som de música popular, comer, beber e desfrutar da vista e dos elementos que recordam a história da localidade.

20210905_121305

20210905_121421 20210905_121628

Ericeira | A Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem

14
Jun22

A Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem encontra-se no centro da Ericeira e tem uma vista lindíssima sobre o Atlântico e a praia dos Pescadores.

A história da fundação da capela não é clara, mas sabe-se que sofreu ao longo do tempo diversas ampliações e obras antes de se tornar no edifício que podemos ver hoje e que remonta ao século XVII.

Em 1609 era a sede onde decorriam as reuniões da Confraria de Nossa Senhora da Boa Viagem dos Homens do Mar e em tempos idos servia também de farol, assinalando a entrada dos barcos no porto e anunciando temporais.

Atualmente é um local de celebração das festas que se realizam anualmente no terceiro fim de semana de agosto em honra de Nossa Senhora da Boa Viagem, padroeira dos pescadores da Ericeira.

20220425_114056 

 

20220425_114141

Vista do largo da capela sobre o Atlântico e a Praia dos Pescadores

20220424_143245

20220424_143317