Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amar Portugal

Porque amo este país que não me viu nascer e me senti inspirada pelas "Paisagens de Portugal" do Sapo Blogs.

Amar Portugal

Porque amo este país que não me viu nascer e me senti inspirada pelas "Paisagens de Portugal" do Sapo Blogs.

Direitos de autor

Todas as imagens deste blogue são da autoria de Isa Nascimento, estando protegidas por Direitos de Autor. Se as partilhar, deverá identificar a sua origem.

Lisboa | Estufa Fria

14
Set21

Não sei já há quantos anos tinha vontade de conhecer a Estufa Fria, situada dentro do parque Eduardo VII, em Lisboa. Um gigantesco jardim (área superior a 1 ha) escondido numa antiga pedreira, que passa despercebido aos menos atentos.

Consegui fazê-lo este ano. 

Fiquei assim a saber que se trata na verdade de 3 estufas: a Estufa Fria, a Estufa Quente e a Estufa Doce.

Ao longo destes três ambiente diferentes, somos convidados a conhecer mais de 300 espécies originárias dos vários continentes. Gostei! 

Mas a tarefa de seleção das imagens para partilhar convosco foi uma tarefa difícil... 

20210817_134737

A Estufa Fria é a área principal e não tem qualquer sistema de aquecimento.

 

A Estufa Quente tem uma cobertura em vidro que possibilita o aquecimento do ar.

20210817_141126

A Estufa Doce, a mais pequenina, é também aquecida e alberga os cactos.

20210817_141249

20210817_141305

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Arouca | Centro histórico

07
Set21

O atual concelho de Arouca é composto por dezasseis freguesias e tem sede na bela e pacata vila que lhe dá o nome.

Situado no interior sul da Área Metropolitana do Porto, o município de Arouca pertence ao Distrito de Aveiro e faz fronteira entre o litoral e o interior e as Regiões Norte e Centro de Portugal.

O vale de Arouca é circundado pela serra do Gamarão a norte, pelo monte cónico da Mó a leste e pela serra da Freita a sul, sendo atravessado pelo rio Paiva, um dos rios menos poluídos da Europa. O concelho de Arouca tem um notável património histórico e natural, destacando-se a cascata da Frecha da Mizarela e as Pedras Parideiras na serra da Freita, o Mosteiro de Santa Maria de Arouca, o Museu das Trilobites e o Arouca Geopark, reconhecido pelo seu excecional património geológico de relevância internacional. 

Terra de tradições, Arouca apresenta uma gastronomia rica com iguarias únicas, desde a carne arouquesa aos doces conventuais.

Um daqueles locais em que não me importaria de morar...

20210612_112757

Praça Brandão de Vasconcelos / Capela da Misericórdia / Fontanário

20210612_114741

Jardim Municipal

20210612_122134

Dois belos exemplares da raça Arouquesa, a passear pela aldeia da Castanheira

Arouquesa

 

Arouca | Mosteiro de Santa Maria de Arouca

31
Ago21

Como é habitual nas terras que abraçam mosteiros, o desenvolvimento económico e populacional de Arouca foi enormemente influenciado pelo Mosteiro de Santa Maria de Arouca. Foi aí que surgiram os doces conventuais da região e o famoso pão de ló "húmido" de Arouca.

Beneditino até ao século XII, passou a acolher a ordem de Cister até finais do século XIX. Fruto de várias intervenções, o atual edifício data dos séculos XVII e XVIII e inclui um dos mais ricos museus de Arte Sacra da Península Ibérica. Fecha ao meio-dia... por isso só pude visitar a igreja  Ficará para a próxima visita!

20210612_112812

Pelourinho de Arouca / Fachada principal que dá acesso à igreja

20210612_115743

Pátio interior / Acesso ao mosteiro e ao museu

20210612_115809

Vista do Jardim Municipal 

20210612_122428

 

 

 

 

Arouca | Casa das Pedras Parideiras – Centro de Interpretação

19
Ago21

Este Centro de Interpretação situa-se na aldeia da Castanheira, concelho de Arouca, e é um dos geossítios mais emblemáticos do Arouca Geopark, onde se pode observar um fenómeno raro no mundo: as Pedras Parideiras.

Do ponto de vista geológico, esta rocha designa-se «granito nodular da Castanheira». O granito é de cor clara e apresenta uma invulgar quantidade de nódulos biotíticos (mineral de cor negra). Por ação da erosão, os nódulos libertam-se e deixam no granito uma cavidade bem visível na rocha.

Tanto o geossítio como a sua localização são muito interessantes.

20210612_161214

20210612_161042

20210612_162043

   São assim os nódulos libertados, as famosas pedras "paridas" 

20210613_104207

 

 

 

 

Arouca | Museu das Trilobites

11
Ago21

É no Museu das Trilobites, localizado no Centro de Interpretação Geológica de Canelas, concelho de Arouca, distrito de Aveiro, que se pode observar uma "excecional coleção paleontológica que alberga uma fauna de invertebrados fósseis do Ordovícico Médio, onde se destacam trilobites, bivalves, gastrópodes, cefalópodes, braquiópodes, crinóides, cistóides, hiolítideos, conulárias, ostracodes, graptólitos e icnofósseis."

Esta extraordinária coleção de fósseis resgatada ao longo de duas décadas de trabalhos industriais nas ardósias tem como principal atrativo o gigantismo ostentado por algumas espécies de trilobites, ao ponto de serem consideradas as maiores do mundo.

As trilobites terão existido no planeta durante cerca de 300 milhões de anos. Apareceram abruptamente na parte inferior do Período Câmbrico (com início há cerca de 550 milhões de anos) e extinguiram-se no final do Período Pérmico (há cerca de 230 milhões de anos), o último período da Era Paleozóica.

Vale a pena visitar!

20210611_120834.jpg

20210611_122515.jpg

20210611_120251.jpg

20210611_112015.jpg

20210611_121131.jpg